Fotografando Arquitetura - Por Lala Pêgas - Professora de Fotografia/ Urcamp


Quando fotografar um prédio, tente identificar os traços que primeiro lhe chamarem a atenção – os elementos visualmente interessantes – logo de início. Talvez tenha sido uma fileira de arcos ou janelas, um telhado oblíquo ou uma parede de concreto com textura. Pode também ter sido um conjunto de terraços, as linhas baixas de uma casa ou as linhas verticais de um arranha-céu.
A abordagem que você escolhe para interpretar ou acentuar esses elementos determinará, em grande parte, a escolha do ponto de vista e do ângulo da câmera. Você pode resolver bater a foto bem de frente, para mostrar apenas a fachada ou, em ângulo, para mostrar tanto a frente como o lado da construção. Do mesmo modo, você pode obter uma vista de cima. Um ângulo baixo é particularmente adequado para destacar um prédio e acentuar sua altura e volume, enquanto um ângulo de cima chama a atenção para o desenho geral da construção e sua inserção na paisagem.
A luz que você escolhe também deve acentuar as peculiaridades de uma construção. Se possível, observe o prédio em diferentes horas do dia, para ver como ele é facetado pela luz do sol. A luz lateral do meio da manhã ou do meio da tarde, dependendo do lado que se deseja destacar, é a primeira escolha para a maioria dos fotógrafos de arquitetura.
Nessas horas do dia, o sol proporciona boa iluminação, além de criar sombras que definem os detalhes estruturais. Se a construção tem uma forma intrigante, como muitos prédios, você obtém um efeito notável fotografando-o contra o alvorecer ou o pôr-do-sol ou ainda contra um sol tardio.(...) Outra abordagem à cidade consiste em retratar certos “toques” humanos, como escadas gastas e fechaduras antigas, que falam sobre seus ocupantes. Todos esses pormenores ganham forma ao serem usados em conjunto.

FOTO: detalhes da fachada do Imba (ângulo superior - lente 300 mm)

0